ARA GÜLER E EU – GUAXUPÉ/ISTAMBUL

Dias atrás, ao visitar o site da Magnum Photos, deparei-me com uma homenagem a Ara Güler, há pouco falecido, o qual, vim saber, foi o mais influente fotógrafo turco do século XX. Em sua homenagem foi dito que, embora tenha produzido retratos maravilhosos de grandes celebridades, seu grande legado são suas fotos de Istambul, sua terra-natal, cidade à qual ele se dedicou, por toda a vida, a fotografar, criando, com isso, a iconografia definitiva do lugar. Imediatamente me identifiquei com ele, já que eu mesmo também me dedico a fotografar minha tão querida cidade, Guaxupé. As razões pelas quais o faço (e pelas quais ele também o fez) e a importância desse trabalho é o que pretendo debater aqui.

O que leva uma pessoa a fazer fotos do dia-a-dia de uma cidade? No meu caso (e, creio, também para Ara Güler), a motivação vem do amor incondicional que tenho por minha terra-natal. É como se eu estivesse contribuindo com a manutenção da memória, capturando momentos e situações que não mais voltarão. Sendo honesto, é um prazer apontar minhas câmeras para coisas às quais a maioria das pessoas não dão muita importância, já que, na maior parte do tempo, estão imersas nos seus afazeres, na pressa, e não reparam no quão belo é o local em que vivem. Se hoje posso ver imagens do passado guaxupeano, é porque alguém, em algum momento, fez o mesmo que eu: decidiu fotografar, por vontade própria, aquilo que via pelas ruas e lugares, e não apenas o que lhe foi determinado. Espero que, no futuro, outras pessoas também olhem com carinho como era Guaxupé no passado, retratada em minha obra. Assim como eu, o mesmo fez Ara Güler quanto à sua terra, Istambul.

Copyright © Luiz Paulo de Morais. All rights reserved. – ® Todos os direitos reservados

Copyright © Luiz Paulo de Morais. All rights reserved. – ® Todos os direitos reservados

Copyright © Luiz Paulo de Morais. All rights reserved. – ® Todos os direitos reservados

 

De acordo com Bruno Barbey:

“As cidades são feitas de homens e seus monumentos. Entre grandeza e pobreza, força e melancolia, essas duas entidades coexistem. Nosso trabalho é mostrar como. Se somos honestos, somos caçadores de almas. Mas caçadores de um tipo delicado, usando um pouco de feitiçaria. Nós não queremos capturar imagens para nós mesmos, mas para compartilhar com os olhos de todos, para manter para todos”.

Pois é exatamente isso o que Ara Güler fez: eternizou por meio de suas fotografias o dia-a-dia de Istambul, permitindo que todos, habitantes e estrangeiros – do presente e do futuro, possam conhecer como era – e é! – a cidade. É razoável afirmar que ele foi o único capaz de capturar a alma de Istambul (do mesmo modo que eu também espero estar fazendo) e traduzi-la em imagens pelas quais estaremos eternamente em dívida com ele.

© Ara Güler | Magnum Photos

© Ara Güler | Magnum Photos

© Ara Güler | Magnum Photos

 

Em um tempo onde tudo é imediato, onde a cada dia mais perde-se capacidade de contemplação, as fotografias de Ara Güler são um lembrete do quão relevante é o trabalho daqueles que, assim como ele e eu, se dispõe a fotografar o local onde vivem, a fim de garantir às próximas gerações a memória do tempo presente.

Link para a homenagem à Ara Güler: https://www.magnumphotos.com/newsroom/ara-guler-1928-2018/

Logo SEOX - Sites para Fotógrafos