MEU FILHO NÃO GOSTA DE TIRAR FOTOS!

Dicas para fotógrafos e pais

A situação é mais comum do que se imagina: a criança simplesmente não fica parada na hora de ser fotografada e/ou foge da câmera. Muitos pais passam por essa situação, seja durante um aniversário, batizado ou mesmo uma sessão fotográfica, e cabe ao fotógrafo encontrar meios para obter lindas fotos, além de orientar os pais sobre como agir nessas horas, já que parte do sucesso depende deles. Ao longo dos anos deparei-me diversas vezes com essa circunstância, e pude perceber que determinadas técnicas funcionam mais do que outras. A fim de ajudar pais e outros fotógrafos, compartilho a seguir o que aprendi.

A primeira regra e também a mais básica é: não force a criança a ser fotografada. Muitos pais e fotógrafos, diante da negativa da criança em se deixar fotografar, ficam insistindo para que ela coopere, o que é um erro. Crianças não têm noção de necessidade, elas não conseguem compreender a importância de se fotografar, de modo que tudo ocorre no tempo delas. Crianças, quase sempre, gostam de correr, pular, brincar, de modo que força-la a fazer algo que não quer pode resultar – e frequentemente resulta – em ainda mais chateação pra ela, e às vezes até em choro. Portanto, se naquele instante a criança não quer, respeite. Isso nos leva à segunda dica, direcionada aos fotógrafos: fotografe à distância.

©Luiz Paulo de Moraes. 2018.

Nem só de fotos posadas é composto uma sessão fotográfica (ou um evento). Fotografias espontâneas, que mostrem a criança “naturalmente”, brincando, interagindo com os que estão ao seu redor e, portanto, sem a pressão de uma câmera apontada para si, são sempre bem-vindas, e ganham importância ainda maior quando a criança dificulta a tomada de fotos posadas. Esse tipo de abordagem é conhecido como “fotografia documental”, e é minha especialidade. Para obter bons retratos desse tipo são necessários:

  • Uma câmera com um ótimo desempenho de ISO, pois quanto maior a distância do assunto fotografado, menor a captação de luz do sensor, muitas vezes sem poder contar com o auxílio de um flash, o que obriga o fotógrafo a aumentar bastante o ISO, a fim de compensar a falta de luz. É importante também que a câmera permita fazer diversos disparos em sequência, o que maximiza as chances de sucesso na hora de fotografar uma criança em movimento;
  • Uma lente teleobjetiva, com uma distância focal máxima de, no mínimo, 135 mm, para que a criança preencha a foto mesmo estando distante, e também para desfocar o segundo plano, a fim de destacar a criança. Vale lembrar que teleobjetivas, mesmo as mais caras, são consideravelmente mais “escuras” que as grande-angulares, exigindo ainda mais do desempenho de ISO da câmera;
  • Atenção, capacidade de antecipação e envolvimento máximo do fotógrafo com a criança, a fim de captar momentos belos e que, de outra forma, não poderiam ser percebidos, como por exemplo um sorriso, uma risada ou qualquer outro gesto fugaz que, de outra forma, não seriam percebidos.
  • Domínio máximo do equipamento, pois parar para ajustar as configurações da câmera pode significar a perda de um belo momento. A câmera fotográfica e todos os seus acessórios devem ser operados automaticamente, quase como uma extensão do corpo do fotógrafo, o que só é adquirido conforme se ganha experiência.

©Luiz Paulo de Moraes. 2018.

©Luiz Paulo de Moraes. 2018.

Apesar de abordagem documental render lindas imagens, em algum momento, mesmo que a princípio a criança não queira, ela terá de ser fotografada parada em algum lugar, nem que seja apenas na hora de cortar o bolo, e mesmo nesses momentos há algumas técnicas que podem ser usadas:

  1. Seja breve. A criança já está em uma situação de estresse, e prolongar esse instante além do necessário só piora as coisas. Faça rapidamente as fotos de que necessita (e que os pais querem, evidentemente), e libere a criança. É melhor ter apenas algumas fotos maravilhosas do que várias imagens ruins.

  1. Peça, fotógrafo, para que algum parente ou amigo (do qual a criança goste bastante) fique atrás de você ou do seu lado (ou junto com a criança), entretendo-a, chamando-a, o que ajuda a distrair sua atenção e alivia parte do estresse de ser fotografada.

  1. Dependendo da idade da criança, use, acoplado na lente, algum brinquedo, o que ajuda a chamar a atenção dela para si. Tais acessórios são baratos e facilmente encontráveis na internet para compra.

©Luiz Paulo de Moraes. 2018.

Por fim, e não menos importante, cabe lembrar que delicadeza, simpatia e disposição são atributos fundamentais a qualquer fotógrafo, e ganham ainda mais importância no trato com crianças. Se você se tornar amigo daquele que está fotografando, tudo ficará mais fácil. Interaja com a criança e seus convidados, e só então faça suas fotos. Seguindo essas dicas, certamente lindas imagens serão captadas, mesmo que, a princípio, a criança não queira.

©Luiz Paulo de Moraes. 2018.

Logo SEOX - Sites para Fotógrafos